Experiências Pessoais (Repiratorianismo)

Partilhe aqui a sua experiência pessoal de Respiratorianismo (inclui também: Inédia, Sungazing, Estado de Bigu e Autotrofismo).

Re: Experiências Pessoais (Repiratorianismo)

Mensagempor Ric.Psicoluz » quinta ago 02, 2012 4:46 pm

Obrigado pela fraterna receptividade e por tuas generosas palavras, querido irmão Alemmarinho!

É um prazer estar aqui e compartilhar experiências com todos os que sentem que a Vida é muito mais do que comer, beber, ter muito dinheiro para consumir, consumir, possuir e possuir... Por havermos finalmente percebido, após tantas existências, que a felicidade é sobretudo 'irradiante', jamais podendo ser trazida "de fora para dentro"... já que seu centro de irradiação é o nosso próprio Coração!

Sobre a "imortalidade física e juventude eterna", um fenômeno que, inclusive segundo a Jasmuheen, pode ocorrer após a pessoa haver passado décadas "vivendo de Luz" e principalmente por haver se integrado à sua 'Luz Interior', indico a todos a leitura do tópico "‘SAINT GERMAIN’ - Reflexöes sobre o “Conde”, o ‘Mestre Ascensionado’… e a sua Missäo" no anteriormente já indicado blog: www.projetoluzconsciencia.blogspot.com

Fraterno abraço a você e a todos os amigos e amigas deste espaço criado em nome do Amor Maior e da elevação da Consciência,

Ricardo
Avatar do Usuário
Ric.Psicoluz
Participação: XX
Participação: XX
 
Mensagens: 24
Registrado: quinta dez 29, 2011 4:03 am
Localização: Brasil/Chile

Re: Experiências Pessoais (Repiratorianismo)

Mensagempor Espirito_eterno » quinta ago 02, 2012 6:26 pm

:bem_vindo:
Olá Ric.Psicoluz!

Texto muito bom, sua experiência foi muito boa (inclusive tem algumas coisas que aprendi com você e vou usar em breve), só agradeço. Além disto você parece ter muito conhecimento e sabedoria na "ciência da palavra falada" seria interessante dividir um pouco dela no fórum, inclusive como você faz os decretos (além dos raios, tubos de luz e etc). Sinta-se a vontade em uma das casas do alimento do Pai que é o Amor.

Até mais.
Algumas pessoas escolhem aprender devagar, outras em curto tempo, mas todos já sabem, estão aprendendo e saberão.
Avatar do Usuário
Espirito_eterno
Participação: CC
Participação: CC
 
Mensagens: 278
Registrado: domingo fev 12, 2012 5:52 pm
Localização: Existência

Re: Experiências Pessoais (Repiratorianismo)

Mensagempor Ric.Psicoluz » sexta ago 03, 2012 12:26 am

Obrigado, meu amigo "Espírito_Eterno"... por tuas palavras generosas e pela excelente acolhida! :concordo3:

Tenha certeza de que logo postarei estas informações, com muito prazer! :concordo1:

Fraterno abraço,

Ricardo
Avatar do Usuário
Ric.Psicoluz
Participação: XX
Participação: XX
 
Mensagens: 24
Registrado: quinta dez 29, 2011 4:03 am
Localização: Brasil/Chile

Re: Experiências Pessoais (Repiratorianismo)

Mensagempor rickadm » sábado ago 04, 2012 12:21 am


Olá Ricardo !!!

       Você realmente trouxe uma nova luz :sol: , um novo brilho a este fórum. Além de muitas informações úteis :estudando: , amor, carinho e muita sabedoria :D .

       Eu (acredito que todos os membros deste fórum também), fico-lhe muito agradecido por toda esta partilha de sabedoria e de energias. :concordo1:

Um Grande Abraço
Rick

Seja a mudança que você deseja ver no mundo. (Mahatma Gandhi)
E-mail: ricklff3@gmail.com
Avatar do Usuário
rickadm
prana adm
 
Mensagens: 224
Registrado: sábado dez 17, 2011 9:20 am
Localização: Portugal

Re: Experiências Pessoais (Repiratorianismo)

Mensagempor Ric.Psicoluz » segunda ago 06, 2012 3:00 am

O prazer é todo meu, Rick... E agradeço a abertura neste espaço para, além de aprender, re-transmitir informações Ascensionadas, as quais tive a honra de haver recebido ao longo de algumas décadas. Na maioria dos casos são informações recebidas... e as demais se deram através da 'Voz Interior'.

Tudo o que os Mestres esperam de nós é tão simples, verdade?! Mesmo porque a simplicidade, além do pleno exercício da humildade, são dois dos requisitos fundamentais para que possamos manifestar o que a Divina Essência espera de cada um de nós, a começar por desenvolver a Paz Interior, logo aprendermos a ouvir a 'Voz do Coraçäo' e estarmos plenamente convictos de que é Ela (a D. I.), e não nossos "seres externos" (cérebros e egos), quem derrama sobre nós todo o Amor, Sabedoria e Poder, absolutamente Divinos, para que possamos realizar todo o de melhor que um dia sonhamos... a começar por "viver de Luz"! :sol:

Oxalá todos os companheiros e companheiras aqui reunidos possam considerar seriamente estas premissas... para que os caminhos sejam absolutamente iluminados... e desobstruídos!

Fraterno abraço! :concordo3:
Avatar do Usuário
Ric.Psicoluz
Participação: XX
Participação: XX
 
Mensagens: 24
Registrado: quinta dez 29, 2011 4:03 am
Localização: Brasil/Chile

Re: Experiências Pessoais (Repiratorianismo)

Mensagempor ricardo2809 » quinta Oct 18, 2012 6:40 am

Ola a todos, tenho 23 anos virei vegetariano a 6 meses e quero passar a viver de luz quando completar 1 ano de vegetarianismo, se eu achar que estou pronto mentalmente claro. Mas eu tenho uma duvida meio constrangedora talvez, que é o seguinte, eu utilizo a flor da cannabis como fumo que me auxilia a quase 1 ano nas minhas meditações e estilo de vida, gostaria de saber se é possível viver de luz sem deixar de utilizar a erva (lembrando que cannabis ativa um pouco a parte sensorial dos desejos do paladar no nosso cérebro) Por favor alguém pode me tirar essa duvida?
ricardo2809
Participação: I
Participação: I
 
Mensagens: 2
Registrado: sábado ago 11, 2012 5:43 pm

Re: Experiências Pessoais (Repiratorianismo)

Mensagempor alemmarinho » quinta Oct 18, 2012 12:02 pm

Olá!!

Ricardo

Toda forma artificial de prazer vai te desviar da plena consciência.

Harmonia e luz. :sol:

ricardo2809 Escreveu:Ola a todos, tenho 23 anos virei vegetariano a 6 meses e quero passar a viver de luz quando completar 1 ano de vegetarianismo, se eu achar que estou pronto mentalmente claro. Mas eu tenho uma duvida meio constrangedora talvez, que é o seguinte, eu utilizo a flor da cannabis como fumo que me auxilia a quase 1 ano nas minhas meditações e estilo de vida, gostaria de saber se é possível viver de luz sem deixar de utilizar a erva (lembrando que cannabis ativa um pouco a parte sensorial dos desejos do paladar no nosso cérebro) Por favor alguém pode me tirar essa duvida?
Viver de luz é o despertar de uma nova realidade, quebrando paradigmas da mente, da emoção e do fisico.
Avatar do Usuário
alemmarinho
Participação: CL
Participação: CL
 
Mensagens: 183
Registrado: quarta jul 25, 2012 12:22 pm
Localização: Planeta Terra

Re: Experiências Pessoais (Repiratorianismo)

Mensagempor Jacarishe » quinta Oct 18, 2012 9:49 pm

Olá Ricardo,

Cada pessoa neste planeta é diferente, e portanto, cada organismo é também diferente. É impossível estabelecer regras ou definir o que se "pode/deve" ou "não pode/não deve". Como é algo em forma de fumo e o viver de luz é algo que de um ponto de vista extremamente simplista lida com a ingestão de alimentos, acredito que não vai influenciar em nada. Talvez até ajude, dependendo da situação. É difícil saber. O melhor é você experimentar. Mas não vejo empecilho nenhum, claro que desde que não seja em excesso e que você não acabe por tentar compensar a falta de prazer do paladar aumentando a dose da cannabis e este ponto é muito importante. Eu suponho que você esteja pensando em usar o processo dos 21 dias da Jasmuheen. Se você for usar este processo, durante os 21 dias o melhor é você não usar nenhuma vez a cannabis, da mesma forma que ela (Jasmuheen) recomenda que corte no uso do alcool já 3 dias antes do processo. Então seria melhor seguir esta mesma sugestão e não usar nada de cannabis já 1 semana antes do início do processo. O uso durante o processo te anestesiaria para a vivencia durante o processo e você acabaria por perder muitas das sensações e dos sinais (mensagens) que o teu corpo te enviaria.

Até Mais

ricardo2809 Escreveu:Ola a todos, tenho 23 anos virei vegetariano a 6 meses e quero passar a viver de luz quando completar 1 ano de vegetarianismo, se eu achar que estou pronto mentalmente claro. Mas eu tenho uma duvida meio constrangedora talvez, que é o seguinte, eu utilizo a flor da cannabis como fumo que me auxilia a quase 1 ano nas minhas meditações e estilo de vida, gostaria de saber se é possível viver de luz sem deixar de utilizar a erva (lembrando que cannabis ativa um pouco a parte sensorial dos desejos do paladar no nosso cérebro) Por favor alguém pode me tirar essa duvida?
A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original. (Albert Einstein)
Avatar do Usuário
Jacarishe
Participação: CC
Participação: CC
 
Mensagens: 226
Registrado: domingo dez 18, 2011 8:53 pm

Re: Experiências Pessoais (Repiratorianismo)

Mensagempor ricardo2809 » sexta Oct 19, 2012 4:31 am

Jacarishe muito obrigado mesmo, sim pretendo usar o processo dos 21 dias da Jasmuheen, irei deixar de usar a cannabis se for necessário até meses antes do processo e depois voltarei a usar depois de alguns meses também, não a problema algum para mim nisso, só tinha uma pulga atrás da orelha de ter que deixar isso de lado para sempre. Sem palavras para agradecer você e a todos do fórum que ajudam as pessoas de coração e propagam essa maravilhosa benção que é viver de luz.

Paz a todos!



Olá Ricardo,

Cada pessoa neste planeta é diferente, e portanto, cada organismo é também diferente. É impossível estabelecer regras ou definir o que se "pode/deve" ou "não pode/não deve". Como é algo em forma de fumo e o viver de luz é algo que de um ponto de vista extremamente simplista lida com a ingestão de alimentos, acredito que não vai influenciar em nada. Talvez até ajude, dependendo da situação. É difícil saber. O melhor é você experimentar. Mas não vejo empecilho nenhum, claro que desde que não seja em excesso e que você não acabe por tentar compensar a falta de prazer do paladar aumentando a dose da cannabis e este ponto é muito importante. Eu suponho que você esteja pensando em usar o processo dos 21 dias da Jasmuheen. Se você for usar este processo, durante os 21 dias o melhor é você não usar nenhuma vez a cannabis, da mesma forma que ela (Jasmuheen) recomenda que corte no uso do alcool já 3 dias antes do processo. Então seria melhor seguir esta mesma sugestão e não usar nada de cannabis já 1 semana antes do início do processo. O uso durante o processo te anestesiaria para a vivencia durante o processo e você acabaria por perder muitas das sensações e dos sinais (mensagens) que o teu corpo te enviaria.

Até Mais
ricardo2809
Participação: I
Participação: I
 
Mensagens: 2
Registrado: sábado ago 11, 2012 5:43 pm

Re: Experiências Pessoais (Repiratorianismo)

Mensagempor Jacarishe » sexta Oct 19, 2012 1:23 pm

Olá Ricardo,

Eu suponho que depois de passar pelo processo, caso você opte por viver sem ingerir absolutamente nada, o estado em que você vai ficar, na minha opinião, vai fazer com que você não deseje mais usar a cannabis, pois você estará em um nível de vibração tão alto que o seu corpo provavelmente rejeite a cannabis. E caso você a use mesmo assim, o efeito será muito amplificado, e portanto a dose terá que ser de talvez um quinto para obter o mesmo efeito, mas isto são só suposições. Estamos neste mundo para fazer experiências, verificar os resultados e aprender. ;)
Como você disse que ia parar meses antes, acho muito muito importante isto, pois quanto mais limpo de qualquer coisa externa, melhor.
E prepare-se o máximo possível. Como a Jasmuheen diz em seu livro, esta pode ser (potencialmente) a coisa mais importante que você faça na sua vida.
Seria legal se você partilhasse aqui no fórum todas as suas experiências, para que mais pessoas se beneficiem do que você descobrir... :concordo3:

Até Mais


ricardo2809 Escreveu:Jacarishe muito obrigado mesmo, sim pretendo usar o processo dos 21 dias da Jasmuheen, irei deixar de usar a cannabis se for necessário até meses antes do processo e depois voltarei a usar depois de alguns meses também, não a problema algum para mim nisso, só tinha uma pulga atrás da orelha de ter que deixar isso de lado para sempre. Sem palavras para agradecer você e a todos do fórum que ajudam as pessoas de coração e propagam essa maravilhosa benção que é viver de luz.

Paz a todos!
A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original. (Albert Einstein)
Avatar do Usuário
Jacarishe
Participação: CC
Participação: CC
 
Mensagens: 226
Registrado: domingo dez 18, 2011 8:53 pm

Re: Experiências Pessoais (Repiratorianismo)

Mensagempor Ric.Psicoluz » quinta Oct 25, 2012 2:55 pm

ricardo2809 Escreveu:Ola a todos, tenho 23 anos virei vegetariano a 6 meses e quero passar a viver de luz quando completar 1 ano de vegetarianismo, se eu achar que estou pronto mentalmente claro. Mas eu tenho uma duvida meio constrangedora talvez, que é o seguinte, eu utilizo a flor da cannabis como fumo que me auxilia a quase 1 ano nas minhas meditações e estilo de vida, gostaria de saber se é possível viver de luz sem deixar de utilizar a erva (lembrando que cannabis ativa um pouco a parte sensorial dos desejos do paladar no nosso cérebro) Por favor alguém pode me tirar essa duvida?


Olá Ricardo, bem vindo! Aproveitando o que nosso bom amigo levantou, sobre a Canabis Sativa ser "natural ou anti-natural", permita que eu expresse a minha humilde opinião sobre esta polêmica: Assim como os estudiosos da física quântica bem sabem... e cujo contexto se encontra perfeitamente harmonizado com as descobertas do professor Masaru Emoto com relação aos "cristais de água", somos seres viventes... vivendo e interagindo vibratoriamente, tanto a nível interno como com o meio ambiente, o que inclui inclusive a dimensão conhecida como "astral".

A possibilidade de "Viver de Luz" foi aberta à humanidade somente para dar um impulso vibratório no sentido de facilitar a integração de nosso ser externo (consciência cerebral) com a Extensão Divina (Consciência Cósmica) que, apesar de latente, habita o nosso interior e nos mantém a vida multidimensional; ou seja, para que nos tornemos uma espécie de "antena aperfeiçoada"... destinada a 'sintonizar, captar e expressar' as virtudes divinas de quem nos criou à Sua Imagem e Semelhança. A utilização da Canabis, cogumelos alucinógenos e de outros entorpecentes tem sido uma prática que remonta há milhares de anos... cujo propósito seria "acalmar os sentidos externos", para logo facilitar aceder às dimensões psíquicas ou espirituais... estas que se encontram vibrando em um nível bem abaixo da Grande Fonte de todo Amor, Sabedoria e Poder de realização! Na realidade, tanto elas como o álcool, com o tempo poderão atrair entidades astrais negativas que, uma vez sintonizadas vibratoriamente com o deleite do usuário, em tal estado inebriante, poderão interferir negativamente com a proposta original de "Viver de Luz", a qual foi trazida ao conhecimento externo por um dos Grandes Mestres Ascensionados conhecido como Serapis Bey.

Então, diante ao exposto, concordo plenamente em que o 'caminho natural' seja o mais indicado, amigo Ricardo, porque a liberação das toxinas encontradas nos alimentos facilitam a integração à Fonte... e com certeza, o mesmo se dará com relação a qualquer outra forma de toxina, seja ela introduzida via oral, aérea, ou através de qualquer outro meio. Se você quer um verdadeiro estado de 'relaxamento', utilize o respiratório... como uma efetiva forma de preparo à Meditação, melhor forma de integração à Luz Interior... e consequentemente, de 'Viver de Luz'!

Com todo respeito, um fraterno abraço,

Ricardo
Avatar do Usuário
Ric.Psicoluz
Participação: XX
Participação: XX
 
Mensagens: 24
Registrado: quinta dez 29, 2011 4:03 am
Localização: Brasil/Chile

Re: Experiências Pessoais (Repiratorianismo)

Mensagempor Zame » sexta fev 08, 2013 12:54 pm

Olá colegas do fórum,

Creio ser interessante registrar as experiências e sacadas que tenho tido logo após o processo dos 21 dias e o que tenho trabalhado comigo mesma nesta adaptação à vida cotidiana. Bem, estou hoje no meu 2o. dia da quinta semana, ou seja, 30 dias sem comer, bebendo suco de limão bem diluído e um pouco de caldo knorr de legumes desmanchado num copo de água quente. Por que eu disse que estou no 2o. dia da 5a. semana? Porque o processo absolutamente não acaba em 21 dias, pela minha experiência. Ainda sinto várias sensações pelo corpo, especialmente três, a recuperação da minha energia, que ainda não está 100%, alguns sintomas de desconforto no aparelho digestivo, o peso que parece começar a dar sinais de recuperação. Há 2 dias voltei a fazer ginástica, mas estou ainda bem lenta e não consigo fazer tanto tempo como antes. Mas o foco principal de trabalho é mesmo o psicológico ou emocional. Notei, logo nos primeiros dias ao voltar do processo que senti uma necessidade de sentir o gosto de doce, de salgado e de algo quente para ingerir. Ok, tentei o chá e não foi agradável. Meu corpo não estava aceitando a água, especialmente com gás, minha preferida antes. Estranho!! Ok, tive a idéia de diluir meio tablete de knorr legumes em água quente e tomar. Foi uma sensação maravilhosa, o que notei, logo depois, ser muito mais emocional do que física. Realmente, achei estranho porque eu não tinha vontade de ingerir algo específico, como pizza ou chocolate... Conversando com uma amiga e depois conferindo no pêndulo, o que provocou estas necessidades era as memórias de bebê. O bebê não diferencia entre coisas de comer e sim entre sabores mais grosseiros. Pra mim, fez todo sentido. Por isto, fiquei tomando a limonada e este "caldinho quente". Depois, comecei a perceber que eu sentia necessidade de ingerir alguma coisa nos intervalos de qualquer atividade (vale lembrar que estou em casa, neste período de adaptação). Então, vi claramente que o condicionamento de ingerir é muito forte ainda, especialmente nos horários mais típicos, como ao acordar, na hora do almoço, ao chegar em casa, à noite, quando saio e antes de dormir. Achei bem interessante esta dependência emocional de ingerir, seja lá o que for. Estou tentando descondicionar aos poucos, mas, muitas vezes, ainda cedo a estes horários, no suco e caldo. Daí, nos 2 últimos dias, notei minhas pernas e pés inchados e olhei o rótulo do caldo knorr e a quantidade de sal daquilo é enorme. Bem, dormi com os pés para cima e Isto significa que devo usar no máximo 1/4 do caldo knorr ou menos, vou experimentar, com a água quente depois que o inchaço acabar totalmente, o que ainda não ocorreu. Mas, percebi que preciso urgentemente criar algum tipo de prazer para os meus intervalos e ao acordar e antes de dormir. Como sou muito ligada às artes e tenho um prazer enorme nelas, vou colocar hoje um material de pintura de mandalas na cozinha para que, quando eu faça um intervalo, eu recorra a elas, durante alguns minutos, que seja. E também vou tocar piano, como uma alternativa para os horários da noite, em que voltar da rua. Acabei também de comprar um ofurô para fazer banhos de imersão à noite, para também trabalhar estas emoções e ter outra afonte de prazer. Estou adorando estas sacadas e me olhar com uma super atenção para trabalhar a dependência emocional ao comer e beber. Outra coisa que notei é que não devo ficar olhando muito para as coisas de comer, por enquanto. Quando passo em frente de algumas lojas de comida, como pão de queijo, os fast foods com aqueles sorvetinhos que às vezes eu ingeria no passado, não olho pras imagens e pra loja para não ter mais tentação. Ontem á noite, eu não consegui escapar de numa reunião de trabalho e, num certo momento, chegou o "sanduiche de metro". Quando todos foram para o lanche eu fui mas nem sequer olhei e fiquei conversando com as pessoas, ou seja, desfoquei da comida. Interessante que não acho que eu cederia facilmente à tentação mas creio que eu iria sofrer mais aumentando a vontade, ao olhar. Ou seja, neste momento, sinto-me um pouco frágil diante dos comes que eu gostava ou gosto. Creio que com o tempo isto deva mudar e eu poderei olhar tudo isto numa boa, mas agora, percebo que devo respeitar uma certa distância se quiser ter sucesso em ficar sem comer. O mesmo ocorre com quem tem dependência de álcool, tabaco e outras drogas. Precisa se afastar totalmente destas tentações por algum tempo. Sorte minha que trabalho com dependências, incluindo físicas e emocionais, portanto, sei como conduzir. Continuo trabalhando firmemente no nível espiritual e mantendo a felicidade como um padrão básico. Bem, é isto, por hoje. Quando eu tiver novidades, eu conto.
Abraços aos colegas!

:treinando: :treinando: :treinando:

:tchau2:
Se limpasem as portas da percepção, tudo apareceria para o homem como é: infinito. William Blake
Avatar do Usuário
Zame
Participação: LX
Participação: LX
 
Mensagens: 77
Registrado: sexta Oct 26, 2012 2:38 pm
Localização: São Paulo - SP - BR

Re: Experiências Pessoais (Repiratorianismo)

Mensagempor alemmarinho » sexta fev 08, 2013 6:36 pm

Olá!

Zame

Seja bem vinda ao time dos buscadores. Agora sim você vai perceber que existe uma forte relação entre o emocional e condicionamento ao alimento fisico. Eu também tive retenção de liquidos por causa do sódio do chocolate e da pimenta industrializada. No meu caso eu cortei tudo que tinha sódio, passei à minha rotina anterior que era beber o sumos de 2 limões pela manhã, meditar, fazer alongamento de coluna e Pranayama, trabalhar o dia e beber água e sempre ir mexendo no lugar onde tinha retenção de liquido para que ela começa a se dissolver e distribuir no corpo. Esta brincadeira levou cerca de 15 dias. Mas tudo voltou ao normal, e pude comprovar o efeito devastador do sódio e de tudo que acabamos adorando é que de forma artifical compramos a ideia de saudavel.
E realmente o ponto critico do processo é este, trabalhar o MENTAL e EMOCIONAL já que um chama o outro tentando chamar você para voltar ao hábito.
Outro detalhe para você seria ficar exposta ao sol e um ambiente ventilado de preferencia arborizado. Quando fico nestes ambientes sinto uma incrivel satisfação e energização desconectando-me totalmente da neura de habitos alimentares.
E quanto tivesse que trabalhar o habito de comidas pensaria da seguinte maneira, este tipo de alimento serve para que?? Para meu corpo ou para minha mente.
Se a resposta fosse serve para meu corpo então teria o prazer de saborea-la, porém se fosse para satisfazer apenas lembranças e não servi-se para o corpo eu descarto.
E venho empregando esta opção. Assim pelo menos não prejudico o funcionamento do corpo e aproveito que o corpo esta limpo e vou mantendo o padrão.
Então foquei nos alimentos frutas, verduras, fruta seca, sucos de frutas, um verdadeiro paraiso de opções e sabores. Porque me permiti esta opção. simplesmente porque convivo com pessoas que comem de tudo e para não criar um clima mais esquisito ainda optei por este caminho, para não conflitar com o entorno. Mas focado nesta questão pranica continuo o refino mental e como vc vou investigando como o corpo fisico reaje a esta nova caminhada. Valeu em breve trocamos ideias.

Zame Escreveu:Olá colegas do fórum,

Creio ser interessante registrar as experiências e sacadas que tenho tido logo após o processo dos 21 dias e o que tenho trabalhado comigo mesma nesta adaptação à vida cotidiana. Bem, estou hoje no meu 2o. dia da quinta semana, ou seja, 30 dias sem comer, bebendo suco de limão bem diluído e um pouco de caldo knorr de legumes desmanchado num copo de água quente. Por que eu disse que estou no 2o. dia da 5a. semana? Porque o processo absolutamente não acaba em 21 dias, pela minha experiência. Ainda sinto várias sensações pelo corpo, especialmente três, a recuperação da minha energia, que ainda não está 100%, alguns sintomas de desconforto no aparelho digestivo, o peso que parece começar a dar sinais de recuperação. Há 2 dias voltei a fazer ginástica, mas estou ainda bem lenta e não consigo fazer tanto tempo como antes. Mas o foco principal de trabalho é mesmo o psicológico ou emocional. Notei, logo nos primeiros dias ao voltar do processo que senti uma necessidade de sentir o gosto de doce, de salgado e de algo quente para ingerir. Ok, tentei o chá e não foi agradável. Meu corpo não estava aceitando a água, especialmente com gás, minha preferida antes. Estranho!! Ok, tive a idéia de diluir meio tablete de knorr legumes em água quente e tomar. Foi uma sensação maravilhosa, o que notei, logo depois, ser muito mais emocional do que física. Realmente, achei estranho porque eu não tinha vontade de ingerir algo específico, como pizza ou chocolate... Conversando com uma amiga e depois conferindo no pêndulo, o que provocou estas necessidades era as memórias de bebê. O bebê não diferencia entre coisas de comer e sim entre sabores mais grosseiros. Pra mim, fez todo sentido. Por isto, fiquei tomando a limonada e este "caldinho quente". Depois, comecei a perceber que eu sentia necessidade de ingerir alguma coisa nos intervalos de qualquer atividade (vale lembrar que estou em casa, neste período de adaptação). Então, vi claramente que o condicionamento de ingerir é muito forte ainda, especialmente nos horários mais típicos, como ao acordar, na hora do almoço, ao chegar em casa, à noite, quando saio e antes de dormir. Achei bem interessante esta dependência emocional de ingerir, seja lá o que for. Estou tentando descondicionar aos poucos, mas, muitas vezes, ainda cedo a estes horários, no suco e caldo. Daí, nos 2 últimos dias, notei minhas pernas e pés inchados e olhei o rótulo do caldo knorr e a quantidade de sal daquilo é enorme. Bem, dormi com os pés para cima e Isto significa que devo usar no máximo 1/4 do caldo knorr ou menos, vou experimentar, com a água quente depois que o inchaço acabar totalmente, o que ainda não ocorreu. Mas, percebi que preciso urgentemente criar algum tipo de prazer para os meus intervalos e ao acordar e antes de dormir. Como sou muito ligada às artes e tenho um prazer enorme nelas, vou colocar hoje um material de pintura de mandalas na cozinha para que, quando eu faça um intervalo, eu recorra a elas, durante alguns minutos, que seja. E também vou tocar piano, como uma alternativa para os horários da noite, em que voltar da rua. Acabei também de comprar um ofurô para fazer banhos de imersão à noite, para também trabalhar estas emoções e ter outra afonte de prazer. Estou adorando estas sacadas e me olhar com uma super atenção